Uma Viagem pelo Brasil na Web

Brasil, 19 de Setembro de 2020

Bandeira de Amazonas
Bandeira de Amazonas

» Home
» Brasil
» Regiões
  :: Amazonas
    .: Cultura
    .: Dados Gerais
    .: Culinária
    .: Economia
    .: História
    .: Infra-Estrutura
    .: Quadro Humano
    .: Quadro Natural
    .: Turismo
    .: Sites Estaduais

 
» Capitais
» Municípios


Amazonas (AM)

Quadro Natural
Áreas de Preservação

Características:

A maior parte do seu relevo é composta pela Planície Amazônica, caracterizada por terras de baixa altitude, divididas em terras firmes, nunca inundadas, pelas várzeas, que são inundadas nas cheias dos rios e pelos igapós, que são as áreas permanentemente inundadas. Cerca de 61% da superfície do Amazonas se situam abaixo de 100m, 32% entre 100 e 200m e somente 7% acima dos 200m de altitude. As maiores elevações são encontradas nos limites com a Venezuela e com o Estado de Roraima, e na serra de Imeri, nas proximidades da fronteira com a Venezuela, encontram-se os dois pontos mais altos do relevo brasileiro, o pico da Neblina, com 2.994m e o pico 31 de Março, com 2.992m de altitude (fonte: IBGE).

O clima é equatorial, quente e húmido, com temperatura média anual entre 24°C e 27°C, chegando a 37°C e 39°C na época mais quente, entre junho e novembro. As regiões oeste e sudoeste do Estado são afetada pelas frentes frias no inverno, quando ocorrem as “friagens” e a temperatura cai para 16°C e 18°C. A umidade relativa do ar oscila entre 67% e 90% e os totais pluviométricos anuais estão entre 1.800mm e 3.500mm. Essas chuvas ocorrem entre os meses de dezembro e maio, com maior quantidade entre janeiro e março. O Rio Negro, em Manaus, alcança o ponto mais alto em junho/julho e o mais baixo em novembro/dezembro.

No Estado registram-se pequenas ocorrências de campos limpos, nas várzeas, e campos cerrados, nas terras firmes, mas a maior parte de sua vegetação é densa e heterogênea, fazendo parte da maior floresta equatorial do planeta, que se divide em:

  • Mata de Terra-Firme - Livre das inundações periódicas, é o local onde se encontram árvores com copas tão grandes que impedem a penetração de 95% dos raios de luz no solo, como a Castanheira, com 60 m de altura, e o Caucho, de onde se extrai um látex de qualidade inferior, e por isso, sob elas, não ocorre o desenvolvimento de herbáceas. Esse solo é pobre em nutrientes minerais e é mantido pela camada vegetal que cai das árvores e o recobre. Se houver desmatamento o solo surge arenoso e estéril;

  • Mata de Igapó - Permanentemente inundada é formada por trepadeiras, arbustos e árvores de até 20 m que, nas cheias, só deixam à vista suas copas. A vitória-régia, símbolo da Amazônia é característica da mata de igapó;

  • Mata de Várzea - Localizada entre a terra-firme, o leito dos rios e os igapós, só é inundada durante as cheias e aí, em solo fértil, se desenvolvem palmeiras, jatobás, seringueiras etc.

O Estado do Amazonas tem 98% da sua área florestal intacta, pois sua vocação econômica foi desviada para outras atividades a partir da criação da Zona Franca de Manaus em 1967. Os governos têm procurado incentivar o chamado desenvolvimento sustentável, voltando-se para a preservação do legado ecológico. Existe um esforço para manter os projetos agropecuários dentro dos limites da preservação ambiental, enquanto que a valorização do manejo da floresta como fonte de renda contribuiu para que o Amazonas enfrentasse o desafio de reduzir o desmatamento em 21% em 2003, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE. Aqui encontram-se os dois maiores arquipélagos fluviais do mundo, Mariuá, com 700 ilhas, e Anavilhanas, com 400 ilhas, situados no Rio Negro e a maior Reserva Biológica inundada do planeta, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá. A flora do Estado apresenta uma grande variedade de vegetais medicinais, dos quais destacam-se andiroba, copaíba e aroeira. São inúmeras as frutas regionais e entre as mais consumidas e comercializadas estão: guaraná, açaí, cupuaçu, castanha-do-pará, camu-camu, pupunha, tucumã, buriti e taperebá. A vasta fauna possui felinos, como as onças, grandes roedores, como as capivaras, aves, quelônios, répteis e primatas. O maior desses animais é a anta e todos constituem fonte de alimento para as populações rurais. Alguns encontram-se ameaçados de extinção e são protegidos por órgãos especiais dos governos. Das milhares de espécies de peixes da Amazônia, com algumas ainda desconhecidas ou sob estudo, as mais exploradas são: tambaqui, jaraqui, curimatã, pacu, tucunaré, pescada, dourado, surubim, sardinha e pirarucu (bacalhau da Amazônia). 

Os rios que cortam o Estado do Amazonas pertencem à Bacia Amazônica. O principal é o Rio Solimões, que passa a se chamar Rio Amazonas a partir do encontro com as águas do Rio Negro, o segundo mais importante, seguido dos rios Juruá, Içá, Japurá, Jutaí, Purus e Madeira. Existem ainda centenas de outros rios e igarapés, afluentes formadores desses rios maiores, além de lagos, como os de Coari, Manacapuru, Mamirauá, Piorini e Canaçarí.

Áreas de Preservação:


  Área total (ha) Municípios
Parque Nacional da Amazônia 994.000 Maués
Parque Nacional do Pico da Neblina 2.200.000 São Gabriel da Cachoeira
Parque Nacional do Jaú 2.272.000 Novo Airão e Barcelos
Parque Estadual Nhamundá 28.370 Nhamundá
Parque Estadual Rio Negro Setor Norte 178.620 Novo Airão
Parque Estadual Rio Negro Setor Sul 257.422 Manaus e Novo Airão
Parque Estadual Serra do Araçá 1.818.700 Barcelos
Floresta Nacional do Amazonas 1.573.100 Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro
Floresta Nacional de Cubaté 416.532,17 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional de Cuiari 109.518,55 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional Içana 200.561,47 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional Jatuarana 837.100 Borba
Floresta Nacional Pau-Rosa 827.877 Maués
Floresta Nacional Piraiuara 631.436,66 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional do Purus 256.000 Boca do Acre
Floresta Nacional Taracua I 647.744 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional Taracua II 559.504,09 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional de Tefé 1.020.000 Tefé
Floresta Nacional de Urucu 66.496,38 Coari
Floresta Nacional de Xié 407.935,81 São Gabriel da Cachoeira
Floresta Nacional de Içana-Aiari 491.400,27 São Gabriel da Cachoeira
Reserva Ecológica do Morro dos Seis Lagos 36.900 São Gabriel da Cachoeira
Reserva Biológica do Abufari 288.000 Manacapuru e Tapauá
Reserva Biológica do Uatumã 940.358 Presidente Figueiredo,Urucará e São Sebastião do Uatumã
Estação Ecológica de Jutaí-Solimões 288.187 Santo Antonio do Içá
Estação EcológicaJuami-Japurá 870.300 Japurá
Estação Ecológica de Anavilhanas 35.018 Novo Airão e Manaus
Área de Relevante InteresseEcológico Javari-Buriti 15.000 Santo Antonio do Içá
Área de Relevante Interesse Ecológico Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais 3.288 Manaus
Reserva Extrativista do Médio Juruá   253.226 Carauari
Reserva Extrativistado Rio Jutaí   275.532,88 Jutaí
Reserva de DesenvolvimentoSustentável de Mamirauá 1.124.000 Tefé
Reserva Particular do PatrimônioNacional – Total de 13 104.554,91 Manaus, Presidente Figueiredo e Canutama

Texto e informações enviadas por Paulo Roberto do Nascimento Vale - Guarabira/PB - 11/10/2006






® Copyright 2000-2020 - Brasil Channel - todos os direitos reservados por lei,  proibida a reprodução total ou parcial deste site.
LEI Nº 9.610/98 - DIREITOS AUTORAIS, LEI Nº 9.609/98 PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL e LEI No 10.695 - Código de Processo Penal